FOXES EM TURNÊ COM COLDPLAY NOS ESTADOS UNIDOS

Cantora e compositora britânica Foxes, está abrindo shows da turnê #AHFODtour para Coldplay pelo Estados Unidos. Falamos com ela em St. Louis para saber mais...

Olá, como vai?
Muito bem! Estou tendo um momento incrível.

Nós estamos falando com você em St. Louis.
Sim, acabamos de vir de Indianópolis. Foi cinco ou seis horas no ônibus.

Você já veio em turnê para América dessa forma antes?
Não como essa. América é realmente onde começou pra mim, porque as pessoas começaram a notar a minha música aqui antes mesmo do Reino Unido. Isso foi muito cedo, quando eu lancei um par de canções e foram parar em Gossip Girl, que é um programa de TV grande na América. Eu fiz uma mini-turne, obviamente não foi desta escala - era uns 600 lugares de capacidade, como um Troubadour. Isso foi uns anos atrás.

E você voltou outras vezes?
Sim, acho que a partir daí eu vim bastante na América, mas isso foi principalmente com Zedd, para uma música chamada Clarity.
Ah sim, a faixa vencedora do Grammy!
Sim. Foi muito divertido. Apresentamos em muitas arenas, como vocalista com ninguém mais ninguém menos que Zedd! Foram grandes shows à fazer, e foi incrível descobrir novas pessoas, mas eu não vim aqui faz um tempo. Eu fiz muita turnê no Reino Unido e muitas coisas no Japão. Eu acho que muitas pessoas ainda não ouviram da minha nova música, por isso é muito bom ter a oportunidade de sair e colocar essas músicas em grandes públicos.

Claro, o seu primeiro show nesta turnê foi na verdade em Zurique. Como foi?
Na verdade eu estava muito surpreendida. Estava muito nervosa, mas foi realmente uma benção ter esse show para ser capaz de ter uma ideia de como ia ser, e saber o que eu precisava para me preparar para vir para a turnê nos EUA.

Você assistiu à performance da banda em Zurique?
Sim, eu não tinha assistido o show antes, e isso me surpreendeu completamente. Foi tão inspirador e incrível. E só por fazer parte disso, eu não podia acreditar que eu estava lá.

Você disse no Twitter que você era fã da banda desde que você era uma criança. Quando você conheceu eles?
Bem, eu lembro quando eles lançaram seu primeiro álbum. É muito bom na verdade, porque minha irmã trabalhou com Chris em trabalhos de caridade por alguns anos. Então, eu estava escrevendo músicas e minha irmã foi trabalhar com Chris e, obviamente, o nível que ele está, é uma loucura, mas ele sempre teve tempo para me dar alguns conselhos e ser muito doce. Eu acho que coldplay foi praticamente minha trilha sonora para crescer. Assim, sua música é bastante uma grande parte da minha vida!
Você cresceu na cidade natal de Will, Southampton, e por coincidência foi para mesma escola!
Sim, eu fui!

Foi uma grande coisa na escola que o baterista de Coldplay estudava?
Sim, definitivamente! Minha irmã estava no mesmo ano que Will, na verdade. Eles tiveram algumas reuniões nos shows de NY, porque minha mãe e irmã vieram para isso. Mas sim, todo mundo foi definitivamente consciente.

Então sua irmã conheceu ele quando ela tinha 11 anos?
Sim, mais ou menos isso.

Podemos saber como ele era na escola?
Hahaha! Bem, eu tenho certeza que ele era um bom garoto. Embora eu não sei se ela estava lá! Mas é incrível o que ele alcançou. É muito inspirador para alguém da sua natal ter feito isso.

Ele na verdade me deu uma pergunta especialmente para essa entrevista: '' Nicholl, Woolbridge, Arundel or Polymond?'
Ai meu deus! Isso é louco! Eu estive em Polymond! Isso é tão engraçado. Essas foram as casas na nossa escola. Porém, eu acho que eles não tem mais. Acho que eu estava no último ano que eles fizeram isso.

Você é fã de Southampton como Will?
Sim, eu sou.

Eu me pergunto, se você tivesse ido para Leicester* (time de futebol) tendo o seu apelido '' A Raposa.''
Ah sim. Na verdade me perguntaram se eu podia fazer uma canção para eles! Mas não, eu sou uma fã do futebol de Southampton...
Quando você foi questionada para essa turnê?
Eu lembro exatamente de onde estava. Eu estava no meu caminho de volta do Japão, que foi a minha última viagem de turnê antes de começar a escrever outro registro. E então nós recebemos um email do meu agente na América dizendo ''Chris adoraria que você se juntasse à sua turnê pelos EUA.'' Nós estávamos prestes a entrar no avião, e eu fiquei completamente em choque! Foi louco. Eu estava literalmente pronta para voltar para o estúdio, mas era como uma oportunidade de uma vida! Eu não posso deixar isso ir por água abaixo. 12 horas de vôo foi emocionante! Era uma coisa tão boa, Chris e os meninos que tinham me convidado. Eu estava realmente surpresa e grata pela oportunidade.

E como é ter datas nos EUA agora?
Apenas outro mundo. Essa é a única maneira que eu posso fazer sentido disso. É apenas uma experiência incrível, não só porque está todo mundo tão lindo, mas a multidão é tão acolhedora. Quando você é um ato de apoio, você não espera que dê alguma merda. Mas os fãs de Coldplay, vão também com o intuito de descobrir novas músicas e eles são musos reais. Então, eu tive uma das melhores recepções.

E poderia concebivelmente ser o oposto de ser um ato de abertura, não é?
Completamente. E isso é o que eu esperava. Eu fui para NY pensando que não é fácil levar pessoas ao seu lado que pode não necessariamente saber quem você é, e eles estão lá para ver Coldplay. Mas está sendo incrível como o público tem sido adorável.

Você já se encontrou com Alessia? Ela é alguém que você conhecia antes?
Eu nunca tinha conhecido ela antes. Ela é demais. Eu sou uma fã, eu acho a voz dela incrível. Ela tem uma atitude meio descontraída, é legal e eu realmente gosto. Eu a assisti cada noite, e mais uma vez, tem sido inspirador. E sua banda é linda. É uma vibe familiar real.

Isso é ótimo!
Completamente. Falávamos há pouco sobre como há tanta energia nessa turnê. Todo mundo vai embora se sentindo com uma energia positiva sobre o mundo, e há uma mensagem incrível por trás disso.

Você está assistindo à Coldplay todas as noites?
Sim, eu estou. Na verdade, na primeira noite minha mãe estava lá e eu tenho certeza que mudou sua vida. Ela estava em lágrimas. E eu estava bem. Foi realmente incrível. Mas você não pode vê-lo todas as noites. É um grande show e tal, você está meio que ''desenhado'' para vê-los.

Você tem alguns dias de folga aqui e ali — você tem tempo para fazer um tour por alguma cidade?
Bem, nós íamos para um museu maluco hoje, o St. Louis City Museum. É meio que um parque dentro de um museu, eu acho. Mas eu não consigo ficar longe da comida da turnê.

Ah sim, essas refeições são perigosas. É meio que andar por boa qualidade várias vezes por dia e se ajudar.
Exatamente. Como um buffet da realeza!

O que você espera por estar fazendo esses shows?
Eu acho que pra mim é a experiência. E conseguir um outro público para ouvir minhas músicas. Ficar em frente de milhares de pessoas todos os dias é bem desafiador, e você só espera que algumas delas aproveitem e levem algo com elas. Mas eu acho que estou aprendendo bastante assistindo elas todas as noites. Têm coisas que eu posso levar para quando eu estiver fazendo meus próprios shows no futuro. É bem inspirador quando você vê um show nesse nível. Faz com que você queira dar um outro passo.
Para todos aqueles que virão para os shows — e eu sei que os músicos nunca gostam dessa pergunta — como você descreveria o que você faz?
Eu acho que a minha música é bem pessoal, mas quando estou tocando em um show bem divertido, meia hora passou e eu já toquei todas as músicas agitadas. E eu acho que é bem legal "esquentar" as pessoas para o Coldplay. Mas você está certo, é uma pergunta estúpida e eu a odeio! [risos]

Até porque, se você falasse que toca flauta, pelo menos as pessoas saberiam que elas não precisam chegar lá tão cedo.
Haha! Verdade! Não é fácil descrever o que eu faço. As pessoas falam que eu faço músicas dançantes para corações partidos. Definitivamente tem a presença de melancolia na minha música. Isso ajuda?

Com certeza. E o que há para depois dessa turnê?
Eu tenho muitos festivais para tocar. Eu estarei no V Festival e em outros no Reino Unido. E tocarei no Pride [Festival], o que é sempre bem divertido. Então eu vou ver o que acontece. Vou continuar escrevendo. Eu escrevo muita música para outras pessoas também, então eu estou constantemente no estúdio. Então irei trabalhar no meu próximo disco.

Você escreverá algumas músicas durante essa turnê?
Sim, eu escrevi quase metade do meu segundo álbum enquanto eu estava em turnê com o Pharrell. Eu tentarei escrever. Eu escrevo muito no meu notebook.

Então se tiver uma música chamada St Louis City Museum nós todos saberemos de onde ela surgiu.
Você vai, mas eu acho que não terá!

Talvez seja a melhor música que você escreva.
[Risos] Você está certo. Ninguém sabe. Eu nomearei as músicas de lugares que tocarmos.

A pergunta final é, qual sua música preferida do Coldplay?
Ah, isso é muito difícil! Eu não sei o que dizer.

Qual música vem na sua cabeça?
Bom, eu sou uma grande fã do 'Ghost Stories', eu ficava dando replay. E eu também amava 'Christmas Lights'. É uma grande música. Eu lembro de vê-los se apresentando. Mas uma que eu acho que sempre me identifiquei é meio que a mais óbvia. Então eu vou falar que a minha música favorita do Coldplay é 'Fix You'.


Por que essa?
Eu acho que toda música do Coldplay você pode se identificar. Tem algum gênio no jeito que eles fazem a letra tão simples, mas você sente que ela foi feita pra você. Essa música é incrível.
*Leicester: Time de futebol que tem como mascote uma raposa.
Leia na íntegra.
Traduzido por Lucas Oliveira e Victória Carmelengo // Foxes Brasil 
FOXES EM TURNÊ COM COLDPLAY NOS ESTADOS UNIDOS FOXES EM TURNÊ COM COLDPLAY NOS ESTADOS UNIDOS Reviewed by iamfoxesbrasil on 10:13 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.